IdeiaSuturadas
Aqui as ideias já caíram e sempre cairão. São ideias pequenas, ideias minúsculas, algumas apenas poeira difusa, nenhuma de interesse.

15 Setembro 2016

 

 

 

DSC_0021.JPG

    Há coisas pelas quais vale a pena esperar, acomodá-las convenientemente e deixar que o tempo se encarregue delas.

   Sete anos passaram sobre a data da colheita e já a Casa da Passarela de então é a Casa da Passarella de hoje, no entanto, apesar de muito ter mudado na imagem destes vinhos e na forma como os mesmos se nos apresentam, algo parece ser imutável: continuam a ser vinhos da "terra", vinhos do Dão genuínos.

   Este Reserva de 2009 é como um passeio por entre a caruma húmida e a neblina crepuscular, onde a guieira traz consigo o frio anunciador da noite e da serra chega a geada, paulatinamente. O passeio termina em casa, já aconchegado por pão e queijo e pelo calor da lenha que queima no canto da sala. É um vinho com a simplicidade necessária e a complexidade suficiente para me levar até onde gosto de estar e, sinceramente, a um vinho não sei mais que se lhe pode pedir.

   Não tenho notas dele, tenho memórias.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:40

15 Setembro 2016

Resultado de imagem para real madrid sporting

 

   Não sou crente, muito menos acredito no destino ou no Destino, no entanto, quando nos deparamos com uma repetição frequente de acontecimentos similares ou que se nos apresentam com uma mesma forma, tendemos a achar, por vezes até por necessidade de identificação discursiva, que se trata de destino. Fazemos isto, normalmente, resignados, como se nada pudéssemos fazer.

   O que ontem aconteceu no Santiago Barnabéu ao Sporting não deixou de ser, para mim, fantástico e bizarro ao mesmo tempo. Foi fantástico porque representou que o destino, ou o futuro, poderá ser de um nível a que nós, sportinguistas, nos queremos habituar e bizarro porque, durante a segunda parte, percebi o quão subtilmente (outras vezes já o fizeram mais ostensivamente) nos dizem sempre que as coisas que devem acontecer têm mesmo que acontecer, não sendo obras de destino algum, mas de uma mão que já foi mais invisível.

   Para além da bizarria já enunciada, existe uma outra que, usando também marionetas, se vai manifestando cada vez menos sorrateiramente e diz respeito à forma despudorada como se vai vedando o caminho da selecção nacional aos nossos mais promissores talentos (e.g. Ruben Semedo, Gelson Martins e não há muito Adrien Silva). Fossem Guedes, Oliveiras ou Cavaleiros e seriam motivo de parangonas várias anunciando encaixes avultados e a excelência de uma formação famosa no Dubai.

   

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 08:35

13 Setembro 2016

 

   O Sr. Barroso, marioneta quase perfeita, dançarino das altas esferas, vê-se ao espelho, corcovado, e não entende o que o faz assim estar de pé, com a cabeça abaixo do peito. Eu diria que é o peso da humilhação ou a concretização de uma caricatura viva. Não obstante, haverá para ele sempre um lugar, se não num qualquer banco, numa qualquer praça, recolhendo moedas, haverá com toda a certeza.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 09:23

21 Novembro 2012

Tenho mesmo de ser de Israel ou da Palestina? Não posso ser do Belenenses?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 16:36

21 Novembro 2012

Cavaco Silva com a frase "(...) é necessário olhar para o que esquecemos nas últimas décadas e ultrapassar os estigmas que nos afastaram do mar, da agricultura e até da indústria (...)".

Com este prémio Cavaco Silva ganhou ainda mais um nome, Estigma.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 13:05

21 Novembro 2012

O Vinho do Porto foi, para mim, durante anos bastantes, somente a bebida que o meu avô usava para comemorar os golos (inúmeros) do Sporting ou que um primo bebia como que ritual em visitas à minha casa, sempre em cálice que o copo era para o tinto. Era usado, também, amíude por minha mãe em algumas criações na cozinha. Não lhe colhecia a nomenclatura, nem tão pouco as características; sabia que tinha servido outrora como interveniente em tratados comerciais, mas isto apenas por obrigação do estudo da História de Portugal. No fundo, era um estranho conhecido.

Este estado de coisas alterou-se há um par de anos e, actualmente, o Vinho do Porto é o estilo de vinho que mais aprecio. Este Niepoort LBV 2007 é um vinho apenas com ligeira oxidação, um Ruby, farto de fruta do bosque, robusto, mas com alguma elegância enovelada. E a frescura no fim da boca sustenta o que de faustoso tem a prova.

Servirá de companheiro a uma improvável mousse (como esta, devida vénia ao criador), queijos de pasta mole ou até a um bife do lombo apimentado.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:44

21 Novembro 2012

No Expresso: "Autocarro explode em Telavive."

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:20
tags:

21 Novembro 2012

Representante do FMI e chefe da missão da troika, Selassie, diz que Governo deve cortar a sério na despesa e defende que não deve haver mais aumentos de impostos. Vítor Gaspar já reagiu, afirmando que "o facto do senhor ser etíope não o ajuda a correr maratonas".

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:12

21 Agosto 2012

Vitória de Guimarães 0 - Sporting 0

 

Jogo interessante pela adopção do conceito de jogo passivo contínuo por parte da equipa da casa; no fundo o Sporting jogou sozinho e mesmo assim não venceu. Talvez Sá Pinto deva desistir da ideia de ganhar o campeonato com os suplentes.

Como nota de rodapé no corpo do texto, fica a seguinte observação: como parte do programa da capital europeia da cultura, gostei do elencar por parte das chamadas claques, do vernáculo mais usado no norte do país.

 

Gil Vicente 0 - Porto 0

 

Foi de razoável comicidade a intervenção de Vítor Pereira reclamando da arbitragem, tal como é giro ver governantes dizerem que estão de consciência tranquila. Talvez no próximo jogo o treinador do Porto não ache que basta colocar em campo o Hulk e dez pinos. 

 

Benfica 2 - Sporting de Braga 2

 

Um jogo típico da liga nacional, com casos, opções erradas de Jorge Jesus, a começar pelo sabor da pastilha, dois centrais aumentativos, Luisão e Douglão e um terreno de jogo recheado de jogadores portugueses.

Gostei da atitude do Braga não explorando em demasia o flanco esquerdo da defesa encarnada, apostando num jogo o mais equilibrado possível. Apreciei ainda o não aproveitamento por parte do Benfica do seu jogo físico. Achei ainda muito provocador o anúncio da Elpozo ao seu peito de frango.

Outra coisa que não me passou despercebida foi a existência de golos.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:41

02 Maio 2012

É o Bom Samaritano, grupo Jerónimo Martins, que vai suportar os 50% de desconto ontem oferecidos?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:40

27 Abril 2012

Após o que tem sido feito e com quem tem sido feito, creio que está encontrado o campeão nacional 2012/2013.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 13:51

26 Abril 2012

Ao que parece o Barcelona aboliu do seu jogo o gesto técnico remate; todo o treino foi focado no passe e recepção do mesmo. O próximo passe(o) é a efectivação de um modelo de jogo baseado no mito de Sísifo.

O Chelsea para a final da Liga dos Campeões já estuda o chamado "Modelo do Recreio"; segundo este, a bola é um factor secundário do jogo (podia ser uma lata), o estado do terreno não tem nenhuma influência no desenrolar da partida, que normalmente no início está enrolada, e enfatiza a necessidade de ter o chamado "jogador à mama".

O Real Madrid decidiu começar a treinar a marcação de pontapés de grande penalidade. Além disso, Cristiano Ronaldo (um jogador de outro mundo, segundo dizem) pediu calma aos adeptos, confirmando que encontrou a bola que Sérgio Ramos pontapeou, quando se dirigia para casa, junto à estação espacial.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:13

26 Abril 2012
img. www.quintadafata.com
Este branco devolve-me os fins de tarde de Primavera, ladeado da terra e do verde desbutado pela luz que foge, quando a inocência e a ingenuidade me revolviam o espírito na busca das sensações essenciais e básicas. Hoje, que o caminho me envelheceu, encontro esse sentir noutras experiências. Ainda assim, sabe melhor quando a coisa é genuína, não artificial; este vinho é isto mesmo, uma mescla feliz do ser e do estar, elegante, elevado.

 

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 13:40

09 Fevereiro 2012

 

Actualmente, somente isto é discutido; além de redutor, é ridículo. É como achar que depois de crescido podemos mudar o sabor de um tomate. Podemos tão somente temperá-lo, óregãos, azeite, sal e vinagre, receituário mediterrânico. A mudança terá, inevitavelmente, de ser feita noutro estágio, o do desenvolvimento, ou mesmo antes disso.

Com as pessoas, passa-se, basicamente o mesmo. A mudança que ansiamos e que pregamos faz-se, no perímetro que à sociedade geral diz respeito, na escola. É lá que temos de aplicar reformas. Jamais avançaremos com o tipo de escola que hoje temos, frouxa nas convicções, relaxada na exigência, permeável ao facilitismo e à proliferação dos vícios, cheia de maus ou medíocres professores - na minha passagem pela escola cri que qualquer um podia ser professor, hoje sei-o.

Se não concentrarmos os nossos esforços em tornar a escola naquilo que, de facto, precisamos que seja - não é suposto a escola ser um depósito de crianças que esperemos que se transformem em adultos por um qualquer milagre espontâneo - continuaremos ad infinitium embrenhados na busca de empresários e empresas mágicas que ofertem bombons e doces variados à economia.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:34

09 Fevereiro 2012
Ideia de: Nuno Moura Trindade às 10:22

05 Fevereiro 2011

 

Este mimo do Expresso vai, com a certeza toda, fazer o Engenheiro cá do sítio afirmar que o Governo está a fazer o trabalho de casa (expressão por ele querida), tirando-nos a nós, crentes portugueses, um enorme peso de cima. Agora é que é.

 

 

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 08:53
tags: ,

04 Fevereiro 2011

 

No fim de mais cinco anos de mandato, será que o Prof. Aníbal Cavaco Silva vai ter um pouco de vergonha, quiçá esta o tome pela idade, ou continuará a afirmar que não tem mesmo culpa nenhuma da situação deplorável do país?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:42

04 Fevereiro 2011

Steve Lehman actou na Culturgest no passado dia 26 de Janeiro, concerto no qual marquei presença. Descobri uma música inebriante, vanguardista e extremamente cativante que me fez balançar na cadeira pouco confortável.

Durante o concerto Steve Lehman trocou algumas palavras com o público e fez um desabafo, disse que na Europa só em Portugal é que ouvem a música que ele faz; o que ele não sabe é que no resto da Europa toda a gente tem muitos preconceitos relativamente ao seu apelido.

 

 

 

 

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:01

29 Julho 2010

 

E posso usar argumentos que, de tão pungentes, deixam o entrevistador a chorar com uma pena disfarçada de mim?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 08:38
tags:

29 Julho 2010

 

Se eu algum dia for constituído arguido ou for acusado em um qualquer processo, será que também me querem entrevistar num qualquer meio de comunicação social para eu dizer, convictamente, que sou inocente?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 08:33

28 Julho 2010

 

Se, como disse o nosso excelentíssimo e tão querido Primeiro Ministro, a "verdade vem sempre ao de cima", não seria útil que Cândida de Almeida, directora do DCIAP, fosse um pouquinho mais alta?

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:10

28 Julho 2010

 

Ontem recebi em casa, juntamente com umas luvas que comprei para o frio que aí vem, um despacho daquela Sr.ª muito aperaltada do Ministério Público informando-me que o processo onde era acusado de favorecer o meu tio na aquisição de um arado, isto por alegadamente o ter deixado passar à frente na fila de compra e por se tratar de o último arado, tinha chegado e cito: "(...) a bom porto"; já serviram para alguma coisa aqueles vinte euros que recebi do Joaquim do talho para fechar os olhos a uma carne fora do prazo.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 13:23

29 Abril 2010

No cenário, de plena campanha eleitoral, há o aparato normal de microfones, câmaras, luzes, pessoas que apenas querem mostrar meia cara na televisão atrás do discursador e um interlocutor assertivo. O assunto é a imigração e as reacções, como resposta, do nosso primeiro-ministro podem ser:

 

a) A senhora é tão porreira, pá, e levanta problemas tão inadequados.

b) O que diz é uma calúnia, é falso, é informação travestida. Não tem fundo de verdade e, por isso mesmo, será por mim processada.

c) Minha senhora não quer ir brincar com o Magalhães do seu netinho?

d) Imigrante é a sua tia!

e) Santos Silva, Vitalino Canas, malhem nesta senhora por favor.

 

Aceito mais contribuições para enriquecer este argumento e mostrar aos gentleman ingleses como se mantém o nível de uma conversa quando discordamos do que nos dizem.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 15:30

29 Abril 2010

Foram descobertos pedaços de madeira que terão, eventualmente, pertencido à Arca de Noé, o que para mim é uma notícia excitante e oportuna. Numa altura em que tudo parece querer colapsar (o estado da economia está cada vez mais deteriorado, o equilíbrio ambiental está como nunca posto em causa e sobre nós desabam constantes catástrofes), é revigorante este revivalismo de uma outra época de caos e morte. Saber que meia dúzia de nós pode sobreviver é um enorme alívio.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 14:17

21 Abril 2010

Hoje falo-vos de futebol, daquele desporto que os intelectuais desprezam e que dizem servir o propósito de entreter os acéfalos, mas que o Povo, essa ideia de quase todo, ama.

Como visitante actuou a que é considerada, de forma unânime e peremptória, a melhor equipa do mundo, aquela que, em teoria, vencerá todos os embates que dispute, por ser quase tudo o que uma equipa de futebol pode ser, por ser quase perfeita. O seu opositor, a jogar em casa, o Inter de Milão, a equipa muito pouco perfeita, que vai jogando a espasmos consoante as necessidades, mas a equipa de José Mourinho. Antes do início do prélio eu, como tantos outros, apontávamos o Barcelona como vencedor, não por crença, não por uma fé cega, tão comum no futebol, mas por termos feito uma análise racional dos valores em confronto. No entanto, neste embate haveria, inevitavelmente, um factor desequilibrador, uma variável demasiado variável de tão previsível que é para proporcionar surpresas, José Mourinho, o auto-intitulado Special One. Restava saber se o génio, a destreza mental, a subtileza de José Mourinho chegavam para levar de vencida a melhor equipa do mundo.

O jogo confirmou que, no que toca a inteligência no futebol, José Mourinho é, actualmente, o seu expoente máximo, uma mente genial que engendra aquilo a que se pode chamar realidade subjugada, a realidade que o satisfaz e que parece favorecer a sua conquista. O Inter de Milão ganhou ontem porque soube perceber que as engrenagens necessitam de todas as peças para funcionar e, se uma for retirada, o mecanismo colapsa, sujeitando-se a uma moção sem sentido que, inexoravelmente, culminará numa inércia própria do cansaço. No Barcelona essa peça é Xavi; Messi é a força bruta do virtuosismo que depende da cadência que, atrás, Xavi seja capaz de impor, é ele que define os ritmos, que mostra à equipa, constantemente, o caminho; não há como não perceber que o Inter ganhou ontem, à melhor equipa do mundo, porque de alguma forma foi capaz de subtrair Xavi do jogo. O que mais impressiona é a capacidade de o fazer sem recorrer a uma marcação individual claramente identificada.

No fundo um dos mais importantes jogos do ano foi decidido através do uso da inteligência ímpar de um português que, ao contrário do que o Sr. Presidente da República fez em Praga, nos mostra que não é com sorrisos embaraçados e impotentes que os problemas se resolvem, mas sim com um trabalho hercúleo de potenciação dos valores com os quais se trabalha.

Ideia de: Nuno Moura Trindade às 13:24

Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Ideias sobre mim

ver perfil

6 seguidores

Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO